Poesias e Artes de Dalva Saudo!

Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro

Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro Slideshow: Dalva’s trip to Salto (near Itu) was created with TripAdvisor TripWow!

Poesias, fotos e arte naif

Poesias, fotos e arte naif
Fragmentos de uma vida colorida.

Seguidores

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Preciso acreditar em Deus para encontrar paz. / Dalva Saudo

              Preciso acreditar em Deus, para refugiar meus pensamentos, para concluir meus sofrimentos, para isolar e tentar finalizar essa emoção de luto, corroída pela alma, que nossa separação me causa.
              Na saudade causadora da tua ausência, tento fugir da tua presença nas forçadas caminhadas quase fora dos meus limites, andando nos shopings, e nos  rítmos rápidos da dança de salão. Quero cansar-me até a exaustão.
             Nessa minha desorientação, o céu comigo se comove, parece que sente meu sofrimento, remove as negras nuvens... na umidade da mágoa, chora comigo no ônibus 249 que, para o destino final me locomove!
            Poderão dizer: Mas novamente chuva e lágrimas no ônibus?
           Sim. Porque o ônibus faz a rota da minha fuga. Tento fugir, mas... de que adianta? A mente me acompanha, como uma bagagem pesada de horror. A chuva e minhas lágrimas atingem meu coração sem para- raios, sem proteção! 
          É uma fuga que tem minúsculos fragmentos de esquecimentos, mas ao chegar em casa, meus pensamentos chegam juntinhos de mim.
         Amanhã tornarei a sair... para me cansar em exaustão. 
          Tentar fugir inutilmente do amplificador dessa dor. Minha meta é o temporizador. As pernas tentam cansar o corpo, mas a mente é receptora, perseguidora. Está ali,  no subconsciente um filme gravado da nossa história, que se renova em constante e implacável   replay...   replay...  renovável replay...  do término da história de amor, que para mim se transformou em dor. Mas... é preciso a chuva para purificar e continuar a vida. Preciso acreditar em Deus!  


Dalva Saudo, autora entre outros, do poema " Chuva e Lágrimas no ônibus 212"    (Postado neste blog) 
Autora do conto " Preconceito" premiado com a medalha de bronze "Machado de Assis"em concurso literário.

          

2 comentários:

agmoncarlos disse...

Bem amada amiga DALVA!!!
Há duas formas para viver um ano novo: Uma é acreditar que não existe milagre... A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre... Não se preocupe em entender... VIVER ultrapassa qualquer entendimento!!!
Continue a estrela que voce é. Seu brilho fascina a uns e inveja a outros. AGMON, poetamigo

"Saudações às Artes" disse...

Da escritora Carmen Pimentel:

Dalva é vc quem escreve estas maravilhas? Menina começe a escrever contos !!!!vc é muito boa nisto.
carmen